Em Teresina, Lais Ribeiro fala sobre desfilar usando o Fantasy Bra: “Foi um sonho realizado”

Nenhum Comentário

Um dos maiores nomes da moda mundial, a top piauiense Laís Ribeiro mantém humildade e gosta de manter os pés no chão: “carreira de modelo é como a de atleta”. Ela fala também da emoção de usar o Fantasy BRA e revela projeto de lançar coleção de joias em parceria com marca internacional.

Tatiara de França

“2017 foi um ano que não supera nenhum outro”, diz a supermodelo piauiense Laís Ribeiro após fazer um balanço do ano.  A angel da Victoria’s  Secret deu voos altos em 2017 e o ápice aconteceu no palco do Fashion Show da marca, em Xangai, na China, quando cruzou a passarela purpurinada usando o Fantasy Bra, uma lingerie confeccionada em ouro e cravejada de pedras preciosas: “Chorei muito porque foi um sonho realizado”, contou sob forte emoção em entrevista realizada na terça, dia 19, para apenas quatro jornalistas de Teresina.

Lais Ribeiro, em entrevista realizada no dia 19, em Teresina. (Foto: Romeu Melo)

Pontualmente, Laís chega ao endereço marcado às 15 horas, acompanhada do irmão, Leonardo, e do tio. De cabelos soltos e pele ao natural e o sorriso que conquistou o estilista Marc Jacobs no início da carreira, preferiu o conforto de uma sandália rasteira branca contrastando com o vestido com fios dourados para a entrevista. Discreta e muito gentil, cumprimentou a todos com simpatia. Sim, aquela menina simples que se revelava diante dos nossos olhos era aquele mulherão dona de um corpo curvilíneo e asas de Angel.

Apesar das asas, Laís gosta de manter os pés firmes no chão.  Filha ilustre de Miguel Alves, município localizado há 112 quilômetros de Teresina, ela se emociona ao falar da família e de sua cidade.  Lá, a angel se reencontra com a Laís que toma banho de rio, anda descalça, come piaba frita e não dispensa uma cerveja bem gelada na companhia da família e dos amigos. “Voltar às origens me dá uma base. Boto o meu pé no chão, porque carreira de modelo é como se fosse de atleta. São alguns anos e se você não tiver planejamento, acaba tudo da noite para o dia”, frisa.

 

Por conta dos inúmeros compromissos e agenda internacional movimentada, Laís mora em Nova York com o filho Alexandre e a irmã, Letícia Oliveira. “Minha mãe (a professora Socorro Oliveira) voltou para o Piauí, porque o meu filho estava ficando muito mimado (brinca). Ela foi o ponto que me apoiou muito de trazer o meu filho para Nova York. Hoje minha irmã está morando comigo”, conta.

Em Miguel Alves, tomando banho de rio. (Instagram)

Aos 27 anos, a top está na lista das mulheres mais sexy do mundo e é uma das maiores modelos da atualidade. Entre ensaios e capas das revistas de moda mais importantes do planeta, Laís é dona da marca de 27 desfiles na sua estreia na passarela da SPFW, um recorde para um new face. Depois disso, ganhou o mundo, num voo rápido. “Tudo aconteceu muito rápido. Foi uma surpresa. Eu estava no momento certo, na hora certa”, disse a top.

Em 2018, são inúmeros os trabalhos na agenda movimentada da top. Ela está desenvolvendo uma coleção de joias com o designer Ritani, que deve chegar ao mercado internacional no meio do ano. Incansável, quer focar mais no mundo fashion, com desfiles e editoriais para revistas – uma de suas grandes paixões, além do trabalho na Victoria’s Secret, definido por ela como sua segunda família, como a gente mostra na entrevista concedida pela Angel. “Tenho uma gratidão muito grande por tudo que está acontecendo na minha vida. Espero que aconteça por vários e vários anos”, enfatiza.

Como foi ser escolhida para usar o Fantasy BRA no desfile anual do Victoria’s Secret Fashion Show, em Xangai?

Laís Ribeiro – Foi uma surpresa! Eu não esperava, dentre tantas meninas – e todas nós temos as mesmas qualidades. Todas nós trabalhamos, nos alimentamos bem para manter o corpo e a gente se esforça para ser “aquela”, mas eu nunca esperei. Claro que a gente tem aquele sonho e fiquei muito surpresa, foi muito gratificante. Não sabia nem como falar quando me disseram. Acho que vocês viram o vídeo, e que eu continuo chorando até hoje (risos e lágrimas). Foi muito emocionante para mim. A coisa mais importante da minha carreira até agora, com certeza.

E como é para você fazer parte de um time de supermodelos a usar o Fantasy BRA?

LaísAcho que foram 23, durante esses 23 anos de Victoria’s Secret, e é uma honra – é a quarta negra. No ano passado foi a Jasmine Tooke, uma das minhas melhores amigas lá dentro. Então, é uma honra muito grande representar o Brasil, o Piauí e as negras.

Como você disse, dentro da Victoria’s Secret é um clima de muita amizade. Todas são amigas?

Laís – Eu acho que é até uma coisa que o Eddie falou que ele nunca viu um grupo assim, porque nós somos muito unidas. A gente viaja junto de férias, tanto que no ano passado eu trouxe a Jasmine e Romeee para o Brasil para o réveillon em Trancoso, na Bahia. Elas me perguntaram de novo. E eu disse: olha, eu vou para a minha cidade (Miguel Alves). Se vocês quiserem ir, tudo bem! (Risos). Mas nós somos muito unidas, graças a Deus!

Com as angels em Trancoso, Bahia (Instagram)

O que você achou da vitória da Monalysa Alcântara e da participação dela no Miss Universo?

Laís – Foi muito justo. Eu achei muito lindo o conjunto que ela trouxe para a competição. Porque não basta ter só beleza, tem que ter um conjunto. Beleza é um requisito que nós como modelo temos que ter. Mas tem que ter um conjunto, a personalidade. Eu conversei com ela e ela estava fazendo Inglês antes de ir. Então, ela é superesforçada e preparada. Foi justo, com certeza. Fiquei muito feliz por ela.

Como você acompanha as notícias daqui? Seus fãs a marcam pelas redes sociais?

Laís – Meu irmão (Leonardo) é muito ligado e está sempre me mandando tudo. Mas a base de fãs piauienses começou a me mandar e falar para apoiar a Monalysa, saber a história dela. Isso tudo foi muito forte.  Então, fui no Instagram dela, pessoalmente, e mandei uma mensagem de apoio. E ela foi superdelicada, educada, linda. Eu achei ela maravilhosa.

Você trabalhou para grandes grifes internacionais, logo no início da carreira. Nomes como Marc Jacobs, Chanel, Tom Ford. Você imaginou que ia ser assim?

Laís – Olha, a gente nunca pensa. A gente nunca sabe o que o futuro reserva, mas são muitas realizações. O ano de 2017 foi de muitas coisas importantes que vieram para a minha carreira, principalmente o Fantasy BRA. E ainda vai vir, graças a Deus. Em 2018 já temos vários planos. Mas foi um ano que não supera nenhum outro da minha carreira até hoje.

E qual o impulso e visibilidade de usar o Fantasy BRA para a sua carreira?

Laís – O Victorias Secret Fashion Show é exibido em mais de 190 países do mundo inteiro e há muita visibilidade, realmente. É uma oportunidade de ter o Fantasy BRA e várias pessoas começaram, tipo, mudar o foco e saber que é você, foi assim incrível. Foi uma nova história na minha carreira.

Foto: Romeu Melo

E depois do Fantasy você vai flertar com Laís, lançando uma coleção. Como é que vai ser isso?

Laís – (Risos). Pois é. Nós temos um plano muito lindo. É uma colaboração. Eu já venho trabalhando com esse designer de joias. Ele se chama Ritani. Há dois anos ele me fornece todas as joias para eventos e tudo mais. A ideia surgiu dele mesmo, de uma colaboração e, se der certo, a parceria continuaria. Então, ainda está no papel. A gente está tentando tirar isso do papel. Acho que daqui para o meio do ano, com certeza, as joias estão no mercado.

E será comercializada apenas no mercado internacional?

Lais – Por enquanto só internacional, dependendo da demanda, e também é uma edição limitada.

E você ainda tem sonhos?

Lais –  Ah, tenho vários (risos). Sempre querendo mais. Com certeza, Vogue América, Já fiz editorial, mas uma capa seria também outra página que viraria na minha carreira. Eu, particularmente, no momento, estou focando na Maxim, eu já fiz editorial e tudo mais. Eu tô focando na alimentação e na malhação para que eu possa ser a número 1, quem sabe, um dia.

Quais os cuidados que você tem para ficar sempre em forma?

Laís – É muito arroz e feijão (risos). Graças a Deus, como brasileira e nordestina, o meu metabolismo é muito bom. Mas, sim, a malhação sempre vai ser pesado. E sempre que a gente viaja (o time de angels), nós temos também um treinador. Ele e a mulher sempre viajam com a gente quando não podemos estar indo para academia. Quando a gente está no hotel fazendo o comercial de Natal, uma vez ou outra a gente traz um personal porque são vários dias. Mas, sempre na malhação pesada, mesmo comendo, mesmo fazendo essas besteirinhas que a gente também quer se permitir.

E nas férias em Miguel Alves?

Laís –  Aí, quando chega em Miguel Alves é tudo. É o banho no rio, é a piaba frita… Aí, quando volta para Nova York é treino pesado. Depois do dia três, sem mais essas regalias.

Você sempre vem a Miguel Alves e sempre fala da sua terra, onde você fica bem à vontade, bem natural e simples.

Laís – Acho que eu nunca perdi o hábito. Claro que muda com aquela tietagem das pessoas que admiram o meu trabalho, mas as mesmas coisas que eu fazia antigamente, tento continuar fazendo com a maior naturalidade que eu possa fazer.

Muitas meninas sonham em seguir seus passos na carreira de modelo. Qual o conselho você dá a elas?

LaísÉ difícil falar siga uma coisa, porque não foi assim. Tudo aconteceu muito rápido. Foi uma surpresa. E eu estava ali no momento certo. Tinha todas as qualidades para estar ali. Então, eu falaria: tenha muita paciência, persistência, porque um dia, se realmente tiver que ser, vai ser.

Mas há também muitos perigos nessa profissão, não é?

Laís –  Exatamente. Tente procurar uma agência profissional, que são profissionais no mercado, com trabalhos conhecidos, porque, às vezes,  como você disse, as meninas são novas, iludidas, e podem cair numa armadilha.

Este ano é ano de eleições. Muita gente anda sem esperança com o futuro do país, diante tudo que está acontecendo. Eu vejo que você é uma mulher que acompanha e dá o seu posicionamento nas suas redes sociais. Que recado você dá aos jovens?

Laís – Eu acho que os jovens têm que, literalmente, botar a palavra democracia em ação. Nós somos a voz e eles têm que nos ouvir. Nós somos o poder e quando as pessoas começarem a entender isso, o Brasil vai para frente. (emocionada)

Deixe um comentário