Batidão: Estreias movimentam o verão na passarela do Minas Trend

Nenhum Comentário

De Ludmilla e seu “Boa Noite São Paulo” a Juliana Paes se jogando no funk no meio da passarela, a edição de verão do Minas Trend, semana de moda mineira, foi marcada por ótimas estreias. Na edição primavera-verão/2019, o palco da festa foi o ExpoMinas, em Belo Horizonte. De 16 a 20 de abril, desfiles e negócios movimentaram a agenda da fashion week que deu o start no calendário de moda nacional.

Skazi estreia com Juliana Paes e Ludmilla na passarela

Vamos começar pela Skazi, estreante no line-up, a marca é uma das queridinhas de blogueiras como Thássia Naves e, algumas das personalidade que vestem, estiveram na Fila A para assistir ao fashion show. A cantora Ludmilla fez a trilha, ao vivo, em um pocket show que levantou o público e preparou o clima para entrada de Juliana Paes.

A coleção flerta com o estilo sporty dos anos de 1970 e 1980 e propõe uma linguagem despojada às composições. Modelos com recortes e construções inusitadas aliam o estilo esportivo ao sexy e girlie. O navy foi reinventado, mas é o paetê que rouba a cena e surge como a grande tendência da próxima estação. Destaque para o mood minimalista, deixando as composições cheias de personalidade. Na cartela de cores, predominam o amarelo, verde bandeira, salmão, marinho, preto, goiaba, vermelho e branco.

A energia de Juliana Paes contagiou o público. 
Fotos: Ze Takahashi / FOTOSITE

Galeria SKAZI

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Fatima Scofield vestidos fluídos invadem o mood da marca

Depois de 30 anos, Fatima Scofield estreia na passarela da semana mineira. E a estreia vem em um bom momento. A grife foi “descoberta”pelas celebridades, virando a queridinha de muitas delas. Para quem não lembra, Monalysa Alcântara vestiu a marca na sua chegada à Teresina, após a coroação do Miss Brasil. Diferente do trajes com construções rígidas em tecidos acetinados, para o verão, Fatima revelou uma pedido especial de suas clientes. Uma estética mais fluida, orgânica e cheia de leveza invadiu a nova coleção com inspiração em um termo japonês MA, referência a construção da forma em tempo e espaço. Tecidos especiais, como as sedas, e 12 tipo de florais diferentes desenham essa mulher leve, romântica e cheia de estilo, personificada na angel Bárbara Fialho. Além disso, a marca trabalha pela primeira vez a renda dentro de suas peças que conta ainda com a collab da Isla, grife de bolsas.

Galeria Fátima Scofield

Este slideshow necessita de JavaScript.

Virgilio Couture traz um vintage colorido e irreverente

Que estreia mais perfeita! Com capacetes de operários estilizados com prints de oncinhas, Virgilio Couture trouxe uma coleção com bastante irreverências, com mix de prints – oncinhas e xadrezes – e com doses de sensualidade e feminilidade. O shape é bem ajustado ao corpo, com presença de tops e transparências em meio estampas animais e muitos bordados nas peças com mood vintage. Uma gostosura ver o colorido tão bem desenvolvido, que expressa bem o clima de verão e ainda reflete uma mulher corajosa, ousada e sempre medo de usar a cores a seu favor. Um dos melhores desfiles dessa edição. Já estou esperando o próximo.

Galeria Vírgilio Couture

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

NotEqual aposta na desconstrução

A desconstrução da estética foi a inspiração do desfile de estreia da NotEqual do estilista mineiro Fabio Costa, segundo lugar no reality gringo “Project Runway”. Fabio morava em Nova York e depois uma longa experiência na metrópole americana, resolveu voltar as origens. Sua roupa é, de certa forma, fora dos padrões estéticos da roupa convencional e confeccionada quase de forma artesanal. As construções são impressionantes, aliada ainda a estampas espelhadas que, em alguns momentos, nos levam ao encontro das criações de Alexander McQueen. É pura arte! Uma roupa atemporal, que veste corpos e não é definida por gêneros. Uma das mais belas coleções apresentadas no Minas Trend que, ao passo que tenha uma estética conceitual, envolve e cria um desejo em um público cansado de tendências pasteurizadas e está a procura de criações mais personalidade. E faltam adjetivos para expressar a dimensão do talento do mineiro.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Chocker e o charme das londrinas da década de 70

Mais uma das estreias do MT, a Chocker trouxe um verão refrescante e de olho em uma consumidora que não abre mão dos códigos de moda em seu guarda-roupa. Inspirado no mood dos anos 70, a coleção Chelsea Girl trouxe para a passarela desenhos da estilista polonesa Barbara Hulanicki em uma roupa cheia de referências londrinas. A tabela de cores, tons pasteis passeiam em um dialogo constante com cores mais fortes. Há bordados delicados e uma repaginada nas listras, com a adição de cores bem fortes para compor o visual dessa mulher viajante. Embarque nesta viagem:

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 

 

 

 

Deixe um comentário